Campanha Nacional de Vacinação tem início nesta semana

Teve início nesta segunda-feira, 11/09, a Campanha Nacional de Multivacinação do Ministério da Saúde. A iniciativa, que vai até o próximo dia 22, tem por objetivo estimular a atualização da carteirinha de crianças e adolescentes menores de 15 anos.

Muito se discute sobre vacinação. Vacinar ou não vacinar? Dar na rede pública ou na particular? Seguir o calendário oficial ou bancar um calendário alternativo? Fato é que a vacinação é obrigatória no nosso país. Independente de sua decisão e posição, seu filho deverá ser imunizado ora ou outra. Cabe discutir com seu pediatra sobre o melhor caminho a seguir e, principalmente, se munir de informações que sustentem sua escolha.

Neste ano, houve algumas mudanças no calendário proposto, com inclusão de algumas novas vacinas e atualização de períodos de vacinação.

 

Idade Vacinas
Ao nascer – BCG– Hepatite B
2 meses – Pentavalente 1ª dose (Tetravalente + Hepatite B 2ª dose)– Poliomielite 1ª dose (VIP)

– Pneumocócica conjugada 1ª dose

– Rotavírus 1ª dose

3 meses – Meningocócica C conjugada 1ª dose
4 meses – Pentavalente 2ª dose (Tetravalente + Hepatite B 3ª dose)– Poliomielite 2ª dose (VIP)

– Pneumocócica conjugada 2ª dose

– Rotavírus 2ª dose

5 meses – Meningocócica C conjugada 2ª dose
6 meses – Pentavalente 3ª dose (Tetravalente + Hepatite B 4ª dose)– Poliomielite 3ª dose (VIP)
9 meses – Febre Amarela
12 meses – Pneumocócica conjugada reforço– Meningocócica C conjugada reforço

– Tríplice Viral 1ª dose

15 meses – DTP 1º reforço (incluída na pentavalente)– Poliomielite 1º reforço (VOP)

– Hepatite A (1 dose de 15 meses até 5 anos)

– Tetra viral (Tríplice Viral 2ª dose + Varicela)

4 anos – DTP 2º reforço (incluída na pentavalente)– Poliomielite 2º reforço (VOP)

– Febre amarela reforço

9-14 anos – HPV 2 doses– Meningocócica C (reforço ou dose única)

Minha experiência: Tenho o aval do pediatra das meninas para seguir apenas com a imunização oferecida no posto de saúde, que garante a proteção básica e adequada para o contexto de saúde no nosso país. A diferença entre a vacina do posto e a particular é uma maior oferta de cepas e tipos de cobertura na vacina paga. No entanto, algumas das proteções oferecidas são para doenças que não necessariamente tem grande representatividade no nosso país. O investimento é alto frente ao real benefício prático, então vale ponderar sua escolha.

Fiz minha parte e fui ontem ao postinho levar a Cecilia para tomar as vacinas dos 4 meses e também a dos 3 meses, que estava atrasada. Fomos entrevistadas pela equipe do jornal SP Record, que estava na UBS de Pinheiros cobrindo o primeiro dia de campanha. Confira nossa participação na matéria 🙂